quinta-feira

Cenas de quem trabalha

É certo que nas ultimas duas semanas tive acesso a um universo feminino que desconhecia por completo, e tenho 20 anos. Mas trabalho naquilo a que chamo de biblioteca feminina, é...
Há de lá tudo, e se não houver alguém procura na internet. Parteleiras até ao teto com os mais variados produtos, organizados ora numericamente, ora alfabéticamente, ora por cores, ora por data, organizados meticulosamente, quase doentio. Mas o mais interessante nisto tudo é o laboratório que inclui... Para além dos produtos expostos temos um armazem com ainda mais produtos e em quantidades quase industriais. E eu, na minha posição de mulher, digo-vos: nós pagamos para ser violadas quimicamente, sem abuso. Aquele armazem cheira examente ao mesmo que o laboratório de quimica do meu secundário, o qual tinha respiradores e estava celado hermeticamente. Estão a imaginar não estão? 
Aquilo que me deixa inquieta é: ao longo da vida nós metemos uma quantidade infinita de quimicos no nosso corpo para sermos nada mais nada menos que bombas, no verdadeiro sentido da palavra, se juntassemos tudo e deixassemos cair um fósforo explodiamos... Percebem o ridiculo?

Sem comentários:

Enviar um comentário