quarta-feira

encontrei num caderno

é de mel todo esse coração, de açúcar toda a tua alma, e com um corpo revestido a cristal, tão inquebrável quanto frio, mas és de amor, tu é de amor, tenho a certeza disso.
parece-me, a mim, que (ainda) nada sei, que é tão difícil proteger-te quanto me parece fácil amar-te e trago comigo a sensação de que é cruel trazer alguém para este (débil) mundo meu e dos demais que já se habituara, a mim, aos meus tiques, aos meus amuos e manias. saber que não te dei oportunidade de escolher e te habituei, logo de inicio, lembra-me que sou a tua armadura mais forte, no entanto a tua espada mais fraca.
ama-me, do primeiro ao (nosso) ultimo dia. mesmo que eu mostre demais do que sou...ama-me porque eu também te amarei.


datado de 11 de setembro a deixar memórias :)

Sem comentários:

Enviar um comentário