terça-feira

Alguém quer?

Sabes em que pensei? Pensei no quantidade de saudades que temos de alguém que não existe e na quantidade de importância que demos a alguém que nos vira a cara ou nos critica. Lembrei-me naquilo que me disseste, quando ainda nos falávamos como amigos que éramos, em que me dizes que eu sou o que sou e que ninguém tem a ver com isso, que sou perfeita da minha maneira estranha e do meu jeito desengonçado, nem que seja só para mim. Falávamos horas a fio sobre sentimentos que nem sequer tínhamos um pelo o outro, mas entendiamo-nos às mil maravilhas. E agora deste o badagaio da minha vida sabe-se lá por obra de que santo. Eu gostava de ti caramba... Eras quem me aceitava o amor sem exageros. Olha agora... tenho uma data de amor condensado num coração enormemente minúsculo para dar. Ninguém que se dê, ao que eu me dê, de aceitar. São as saudades de tu me aumentares o ego a dizeres que sou bonita, nem que fosse mentira. É a vida rapaz, é a minha vida.
Alguém quer amor? Vendo em fatias grandes, doce e saudável, de borla.

3 comentários:

  1. eu aceito de bom grado.
    o problema Maria, sabes, é que o amor é tão infindável que por mais que o demos às pessoas vai sempre parecer que ficou um grande pedaço para nós, um pedaço que não devia ser nosso. mas um dia há alguém que o leva todo, Maria, um dia alguém te vai levar o amor todo e tu nem vais notar, porque vais ser feliz assim.

    ResponderEliminar
  2. Eu quero =D Podes fazer uma entrega de uma grande fatia em minha casa. Prometo que trato bem dele

    ResponderEliminar
  3. se não te consideras, força :D tnh a certeza q vais gostar!

    ResponderEliminar